sábado, 3 de agosto de 2013

IV EDIÇÃO DA ECORAIA – 24 E 25 DE AGOSTO DE 2013


A Rotas e Raízes, vai participar com um stand na ecoraia a vender produtos regionais e programas animação turística.

Apareçam por lá....




Objetivo do evento e onde vai ser realizado

Este evento surge no âmbito de um projeto de cooperação transfronteiriça e visa impulsionar a iniciativa privada da zona da raia. Trata-se de uma feira tipicamente promocional mas de carácter comercial e onde logicamente na sequência da primeira edição da Feira se estabelecerão e reforçarão contactos empresariais em termos comerciais entre os dois países. É logicamente uma oportunidade para os pequenos e médios produtores locais da zona raiana.
Temos provas suficientes e a experiencia assim o diz que o desenvolvimento sustentável da nossa região passa por potenciar e dinamizar o que de melhor temos na região e esta feira traduz isso mesmo, ou seja a possibilidade de se exporem os produtos tradicionais e regionais e de se estabelecerem contactos quer de comercialização quer de troca de saberes na promoção dos produtos regionais. Logicamente que este evento permitirá ainda contribuir para o processo de dinamização, modernização e diversificação do sector agroalimentar e turístico das duas regiões BIN- SAL e estou convencido que quer o público espanhol quer o público português se sentirão atraídos em conhecer localmente onde se produzem estes produtos de origem rural.

Este ano de 2013 a edição da ECORAIA vai realizar-se em Portugal, mais concretamente no Município de Pinhel e para além da mostra gastronómica vai oferecer outro tipo de atividades, nomeadamente de promoção turística dos Municípios.


ECORAIA traduz-se numa marca regional vendável através da LAT 40

Antes de mais explicar o porquê da LAT 40 - (diminutivo de Latitude de meridiano de lugar de 400 no qual se encontro o território raiano (PT e ES) e de onde são originários os produtos desta mostra gastronómica e das diversas atividades agroalimentares que vamos expor.
De referir que recentemente foi registada a marca LAT 40 e estamos a realizar todos os esforços para que com esta mostra gastronómica cuja sua génese surge no mundo rural e que ainda transpira indicadores de crise, se possa evidenciar aos que ainda acreditam bem como aos menos crentes que o mundo rural pode também ele, ser promissor de novos e melhores produtos. Com este e outros iniciativas semelhantes estamos certos que a marca LAT40 será cada vez mais publicitada e obviamente mais procurada no futuro e dinamizar a economia das pequenas e medias empresas da área agroalimentar e áreas afins.
Eu mesmo sou da opinião que o sector agrícola/rural especialmente na nossa região que é riquíssima em recursos endógenos, pode ajudar a atenuar os fatores negativos da crise atravessamos, se houver uma aposta no crescimento da produção regional/nacional no sector e se as novas gerações abraçarem uma profissão que tem vindo a ter cada vez menos sucessores. Se as pessoas quiserem dedicar-se a esta atividade têm imensas oportunidades nos dias de hoje, até porque as condições de trabalho atuais no campo são incomparavelmente melhores às que existiam há uma década atrás.

Envolvimento das autarquias e dos autarcas no certame
Como sabem esta iniciativa desenvolvida entre a AMCB e a Deputação de Salamanca (através de uma candidatar poctep – iniciativa de cooperação transfronteiriça) surgiu por solicitação dos Municípios que ainda vivem o verdadeiro sentido de associativismo e que viram na AMCB um representante à altura para a concretização deste projeto de iniciativa local/regional. 
Deixem-me dizer-vos ainda que Nós autarcas, que estamos no terreno, (como sabem) temos o dever de sensibilizar a população para as mais-valias da aposta no mundo rural quer em termos turísticos quer em termos agroalimentares, através destes eventos. Porem é preciso que o governo central crie ferramentas e medidas que incentivem ao repovoamento agrário de forma a captar uma parte dos recursos humanos desaproveitados, e fixá-los de forma ativa nas zonas rurais. Estou perfeitamente ciente, e todos nós constatamos isso mesmo, que esta crise trouxe bastantes dificuldades para muita gente mas por outro lado a forma de pensar, a forma de gastarmos e a ideologia consumista, a forma de valorizarmos o que temos, também se alterou ou vai alterando e por isso acredito que o mundo rural possa ser visto doutra forma, possa ser visto como um recurso bem mais valioso.


Expositores
§  83 produtores pt/es
o   64 PT
o   19 Es
§  stands de produtos agroalimentares caseiros e ecológicos de Espanha e Portugal
§  Produtos agrupados em oito sectores: vinhos; lacticínios e derivados; azeites; enchidos: produtos secos: farinhas e derivados; marmeladas e conservas, e alguns produtos caseiros e ecológicos que não estão incluídos nos sectores anteriores.



Orçamento
§  Orçamento global do projeto VIP BIN SAL – € 1. 615.939,85
§  Orçamento global da organização a feira - € 116.000,00



Conclusão
Queria em jeito de conclusão terminar e dizer-vos que este projeto resume-se ao que tem sido a nossa estratégia dentro da AMCB e em pareceria com a Deputação Salamanca, o mesmo é dizer que existem três grandes prioridades, que são a competitividade territorial – relacionada com a reavaliação de terrenos através da promoção de atividades de investigação, desenvolvimento e inovação, assim como a internacionalização das empresas, a sustentabilidade territorial associada à preservação e promoção dos recursos naturais, ambientais e áreas culturais e, finalmente, a cooperação territorial, associada ao fortalecimento da cooperação e integração social e institucional dos grupos raianos.


A todos Bem hajam pela vossa presença e vemo-nos em Pinhel dias 24 e 25 de Agosto.