terça-feira, 24 de setembro de 2013

Dia de Vindima

No Sábado passado, organizamos mais uma actividade, reviver uma das maiores festas agrícolas, a VINDIMA.

Conforme agendado pelas 8 horas iniciámos a caminhada até à vinha. Cheios de vontade e com muitas uvas para apanhar, pegámos nas tesouras e começámos a cortar.

As uvas estavam óptimas.
Fomos percorrendo todas as videiras e cortando o pé de cada uva.

A meio da manhã fizemos uma pausa para o Reforço Matinal, do qual fez parte os tradicionais Bolos de Bacalhau, pão, queijo, fruta, sumo, água e vinho.
Foi uma bela manhã, na qual fizemos uma colheita fantástica.


As uvas foram despejadas nas cubas,passando pela esmagadeira.






A Esmagadeira é  uma máquina simples, que pode ser eléctrica ou manual. Nós utilizámos a eléctrica. A Esmagadeira onsiste basicamente em dois cilindros de ferro ou madeira, dispostos horizontalmente e colocados um em frente ao outro. Mantêm-se constantemente em movimento giratório. Os cachos são despejadas na máquina e passam entre eles. No momento em que passam são
espremidos, com determinada intensidade, capaz de libertar o suco, mas não de danificar a semente.


Após este primeiro processo, as uvas esmagadas ficam a repousar.

A Jeropiga é a primeira bebida a ser preparada. No mesmo dia, ou seguinte ao esmagamento, junta-se aguardente ao mosto de uva para parar a fermentação, ficando uma bebida mais doce e mais alcoólica que o vinho.
O vinho é o resultado da fermentação das uvas. A constituição química das uvas permite que estas fermentem sem que lhes sejam adicionados açúcares, ácidos, enzimas ou outros nutrientes.  A fermentação das uvas é feita por vários tipos de leveduras que consomem os açúcares presentes nas uvas transformando-os em álcool

A jeropiga está feita, em fase de apuramento e o vinho encontra-se em fase de levedura.
A Rotas e Raízes desafia-vos a provarem o vinho e jeropiga, daqui por uns tempos!

Estejam atentos às nossas novidades e participem nas próximas actividades.
Não prometemos...Surpreendemos!

sábado, 14 de setembro de 2013

Festival de observação de aves

Cabeçalho
O IV Festival de Observação de Aves de Sagres Vai decorrer de 4 a 6 de outubro e como abriram Inscrições JÁ!
Uma das principais Atração dEste festival continuam a serviços como aves e parágrafo comemorar ESTA Época do Ano de Migração planeámos Diversas saídas de campo e Viagens pelágicas dedicadas à SUA Observação.Mas o Tema fazer festival Localidade: Não se esgota NAS aves, e POR ISSO ESTA repleto o Programa de Iniciativas Diversas sobre temas To Us Link, Como astronomia, Cogumelos, borboletas noturnas, Tubarões, Entre To Us Link. Mais UMA Vez OS Agentes locais, nomeadamente, Alojamentos, Restauração e Animação Turística, Uniram-SE BEM parágrafos receber ósmio Participantes oferecendo precos Especiais de e OUTRAS Vantagens.Por Tudo Isto É, Nao deixe de VISITAR Sagres Durante Este festival. . Junte-se a estabele Comemoração da Natureza Saiba Mais e Partilhe: »http://birdwatchingsagres.com/ » Facebook » Cartaz do Festival (download) 









O IV Festival de Observação de Aves de Sagres insere-se no Âmbito do Projeto PRODER 'Um Outro Algarve ", promovido Pela Vicentina, n'uma Cooperação interterritorial com Associações de Terras do Baixo Guadiana e In Loco.Este Evento TEM Como Promotores um Vicentina ea Câmara Municipal de Vila do Bispo e Conta com uma Organização da SPEA e da Almargem.
rodape

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Rota do Cabo da Roca

No passado Domingo, dia 01, realizámos mais uma Actividade, um percurso pedestre pela Rota do Cabo da Roca.

Numa manhã quente, com um céu azul e um sol fantástico, fomos percorrer 14 Km pela encosta do Cabo da Roca, subindo e descendo, visualizámos várias espécies, como o sobreiro pistacia, pinheiro manso, azinheira e o medronheiro. 




Descemos até à praia da Agrada, seguindo-se uma subida acentuada em terreno de areia até ao ponto mais alto, onde visualizámos a praia Grande, uma paisagem magnífica.













Seguidamente, descemos até à aldeia de Almoçageme, que nos cativa com as suas casas típicas e com as suas gentes. Depois de uma pausa para café, começou a subida até à próxima aldeia, Ulgueira, uma aldeia também encantadora, demonstrando o que há de mais típico, junto ao mar e à serra.













Fomos subindo mais um pouco... 

...e quando demos por nós, encontrávamo-nos a chegar novamente ao Cabo da Roca, o Ponto mais a Ocidente de Portugal.



A Rotas e Raízes pretende levá-lo a conhecer e a sentir o melhor que temos em Portugal. Deixe-se envolver e venha descobrir connosco estas belezas que estão tão perto de cada um de nós.